terça-feira, fevereiro 21, 2012


Pele com brilho Certo

0

Fonte: Rosana Faria de Freitas. Fotos: John Akehurst/trunkarchive.com


Foto: John Akehurst/trunkarchive.comFoto: John Akehurst/trunkarchive.com

Saiba como combater a oleosidade excessiva e trocar o ar gorduroso por uma pele fresca e iluminada com estas 23 questões sobre o tema



1. Quais as principais características da pele oleosa e qual a melhor forma de identificar se a gente tem?
A pele brilha, tem poros dilatados e pode apresentar cravos e espinhas, que, em geral, aparecem mais na zona T (testa, nariz e queixo). “Um teste simples permite a identificação: passe o dedo indicador sobre a testa no fim do dia. Se deslizar facilmente, está confirmado”, ensina a dermatologista Ana Lúcia Recio, de São Paulo.
2. Em países com clima tropical, como o nosso, esse tipo de pele é mais comum?
“No Brasil, como o calor e a umidade do ar são mais elevados em boa parte do ano, a pele tem tendência a ficar mais brilhante e gordurosa”, diz a dermatologista Ana Carina Junqueira Bertin, da Clínica Adriana Vilarinho, em São Paulo. Uma pesquisa feita pelo Ibope a pedido da L’Oréal revela que 54% das brasileiras têm esse tipo de pele.
3. Quais são as diferenças entre a pele oleosa e a mista? Os cuidados básicos são os mesmos?
Na primeira, o excesso de oleosidade acomete toda a face. Na segunda, atinge mais a zona T. Os cuidados são parecidos, mas os produtos devem ser diferentes, sempre adequados a cada tipo. Quem tem pele mista precisa ficar especialmente atenta para não acabar ressecando demais as bochechas.
4. Quais são os principais fatores que levam a pessoa a ter uma pele oleosa? Dá para evitá-los?
A herança genética é a principal causa, e não há como evitá-la, embora seja possível aprender a lidar com o problema. Outros fatores contribuem, como alterações hormonais. Por isso é mais comum termos pele oleosa na adolescência, quando os hormônios estão em grande atividade.
5. A qualidade da alimentação influencia mesmo no problema da oleosidade? De que maneira?
Essa questão é polêmica. Alguns médicos acreditam que a ingestão de frituras e comidas gordurosas em geral contribuem para incrementar a atividade das glândulas sebáceas; outros dizem que não. Só um ponto é consenso: uma dieta pobre em nutrientes prejudica a pele, o cabelo e as unhas – e uma saudável ajuda a trazer saúde e beleza.
6. E no caso do chocolate, existe comprovação de que ele pode agravar o problema?
“Como ele contém muita gordura saturada, não é incomum que pessoas com propensão ao desenvolvimento de acne tenham mais lesões após o abuso de chocolate por causa do papel dos ácidos graxos no organismo”, explica a dermatologista e cirurgiã capilar Leila Bloch, de São Paulo. É que, quando “atacados”, os ácidos graxos reagem desencadeando um processo inflamatório.
7. Quais são as vantagens de se ter pele oleosa? É verdade, como dizem, que ela envelhece menos?
Não é verdade. “Envelhecimento depende de fatores genéticos e ambientais, como sol, fumo e poluição”, diz a dermatologista Ediléia Bagatin, de São Paulo. Segundo ela, a pele oleosa tende a ser mais espessa, o que pode fornecer mais proteção contra agressões externas. Essa seria a “vantagem”.
8. E as desvantagens? É indiscutível, por exemplo, que a incidência de acnes é maior.
De fato, a tendência à acne é maior, assim como a manchas e cicatrizes decorrentes desse problema. E os poros costumam ser dilatados. “Além disso, por falta de informação, as pessoas que têm esse tipo de pele podem exagerar nos sabonetes agressivos e provocar ressecamento”, avalia o cosmetólogo Maurício Pupo, de São Paulo.
9. Em relação aos cuidados diários, existe alguma recomendação importante para quem tem pele oleosa?
Higienize o rosto só duas vezes ao dia, de manhã e à noite. “Lavar excessivamente piora o problema porque a pele resseca e o organismo entende que precisa produzir oleosidade extra”, avisa Ana Lúcia Recio. É o chamado efeito rebote. Use água na temperatura morna ou fria e não esfregue demais ou passe bucha, pois isso estimularia ainda mais as glândulas sebáceas.
10. Que outras etapas são consideradas indispensáveis na rotina de cuidados?
Seja qual for o tipo de pele, a sequência inclui limpar, tonificar e hidratar. Assim, após a lavagem, tonifique com produtos adstringentes sem (ou com pouco) álcool na fórmula, para promover a contração dos poros, equilibrar o pH, acalmar e refrescar a pele. E aplique um hidratante sem óleo.
11. Vira e mexe a gente ouve falar que a pele oleosa não precisa de muita hidratação. Isso é correto?
Uma coisa é diferente da outra, ou seja, é possível ter pele oleosa e desidratada. “Então, não se pode esquecer da hidratação nunca, sempre com produtos que contenham mais substâncias aquosas, como glicerina e ácido hialurônico, e menos ativos oleosos, como óleo de amêndoas e manteiga de karité”, salienta Pupo.
12. Então, é mesmo fundamental só utilizar produtos específicos para esse tipo de pele?
Sim, todos os integrantes do nécessaire devem ser formulados para pele oleosa. “Isso significa só usar cosméticos, medicamentos e filtros solares em versões consideradas mais leves, como gel, gel creme e sérum. Os sabonetes também devem ser especiais, com agentes capazes de reduzir a oleosidade”, diz a dermatologista Patrícia Ormiga, do Rio de Janeiro.
13. Que substâncias têm o poder de controlar a oleosidade, ou seja, o que procurar nos rótulos?
Alguns componentes com esse poder: extratos de sálvia e camomila, óleo de malaleuca, chá-verde, calêndula, hamamélis, hortelã, cânfora e mentol, presentes em tonificantes. Já os sabonetes antissépticos e as loções adstringentes ou secativas podem conter triclosan, ácido salicílico e peróxido de benzoíla ou enxofre.
14. Os poros sempre se dilatam? Por que isso acontece? E o que se deve fazer para lidar com o problema?
Sim, sempre se tornam maiores. Aliás, esse é um dos grandes problemas da pele oleosa. Os poros ficam dilatados porque não conseguem se livrar do excesso de secreção. Uma indicação é aplicar produtos que controlem a oleosidade, como loções secativas e tônicos. Outra é usar ácido retinoico, com acompanhamento médico.
15. Quer dizer que, de uma maneira geral, os ácidos são recomendados para inibir a oleosidade?
Os ácidos podem ser usados, mas vale ressaltar que não reduzem, de verdade, a atividade das glândulas sebáceas. “O que fazem é ressecar a superfície da pele, melhorando a aparência geral. E diminuem as manchas, clareiam lesões de acne e reduzem o aspecto de pele fotoenvelhecida”, diz a dermatologista Doris Hexsel, de São Paulo.
16. Há outros métodos mais radicais e, ao mesmo tempo, eficazes para combater a oleosidade excessiva?
Antes de tudo, é essencial uma avaliação dermatológica com investigação das causas específicas. A princípio, porém, Doris Hexsel indica dois procedimentos para diminuir a atividade das glândulas sebáceas: uso de isotretinoína oral e terapia fotodinâmica, que é a aplicação de ativos seguida de luz ou laser. Ambos necessitam de acompanhamento médico.
17. Adianta alguma coisa para quem tem pele oleosa fazer esfoliação com frequência?
O procedimento, que remove as células mortas da superfície, a sujeira acumulada e os resíduos de sebo, é muito benéfico. Só não pode exagerar. A indicação é uma vez por semana, se for uma esfoliação vigorosa, ou até três, se bem suave. Mas atenção: se você nunca se submeteu a uma esfoliação e fizer isso pela primeira vez, poderá notar que a superfície se tornou até mais gordurosa. “Isso ocorre por causa da massagem e da própria desobstrução dos poros, que mantinham o sebo represado”, avisa o cosmetólogo Pupo. E acrescenta: “O segredo é a persistência”. Ou seja, insista até que os poros desobstruam completamente.
18. Por que sempre se ouve falar que o estresse tem efeito negativo sobre a pele oleosa?
É difícil medir o efeito exato do estresse sobre a oleosidade. Mas experts acreditam que ele pode, sim, aumentar a secreção sebácea. Pupo sustenta que o sistema nervoso faz uma “verdadeira bagunça” no nosso corpo, principalmente nos hormônios. “Basta reparar como não é raro aparecerem lesões de acne nas vésperas de provas ou de eventos importantes, como o casamento.”
19. O sol traz algum benefício? A sensação é de que ele consegue “secar” as espinhas...
Apesar de a exposição ter efeito cicatrizante, o sol pode aumentar a produção de sebo, além de ser o principal causador de envelhecimento e do câncer de pele. “Assim, o uso de filtro solar é obrigatório para todos os tipos de pele, até em dias nublados e em horários de menor intensidade dos raios ultravioletas”, afirma Doris.
20. Muita gente comenta que o protetor solar aumenta a oleosidade. Mesmo assim, precisa usar?
É preciso escolher um filtro solar adequado. “O protetor ideal para a pele oleosa é leve, em forma de gel, gel creme ou musse, e deve ser aplicado pelo menos duas vezes ao dia em todo o rosto”, afirma Ana Carina. O fator de proteção mínimo recomendado é 30.
21. No caso da maquiagem, que tipo de produto é mais recomendado?
Principalmente nos corretivos e nas bases, prefira os oil free e de textura fluida, que não agregam mais óleo à pele nem obstruem os poros. Também são aconselháveis itens hipoalergênicos, para evitar irritações e alergias. Se a oleosidade for grave, uma opção é trocar o corretivo e a base por itens mais leves, como pós.
22. O primer é um bom aliado para quem tem pele oleosa? Ele consegue uniformizar a pele antes do make?
Certamente é um bom aliado. Desenvolvido para ser um produto pré-make, aplicado antes mesmo da base, o primer é formulado com micropartículas que refletem a luz e deixam a pele com ar aveludado, suavizando os poros dilatados e as linhas finas. Ainda prolonga a duração da maquiagem.
23. Quando a pele da gente é oleosa, o cabelo necessariamente também é?
Não é uma regra: peles oleosas, mistas e secas podem vir acompanhadas ou não de cabelos com iguais características. “A produção de óleo vem das glândulas sebáceas. Elas estão espalhadas pelo nosso corpo todo, mas algumas áreas têm mais glândulas do que outras e, além disso, cada glândula reage de uma forma”, afirma Ana Carina.
Foto:    Divulgação
Foto:    Divulgação








domingo, fevereiro 19, 2012


Kit de 12 mini-lápis de olho

0


Meninas,
olhem a novidade da lojinha!

Esse kit permite fazer de maquiagens divertidas até as mais glamourosas.

* Todos são bem pigmentados e macios
* Tem ótima variedade de cores





Quem gostou da novidade?
 \o/  \o/  \o/  \o/  \o/  \o/  \o/  \o/
  
Comentem!



sábado, fevereiro 04, 2012


Dukandiet: o que é e o que os especialistas pensam a respeito.

0
por Danielle Barg

Famosas como Penélope Cruz, Beyoncé e Kate Middleton teriam aderido ao metódo do Dr. Dukan para chegar às curvas perfeitas. Foto: Getty Images Famosas como Penélope Cruz, Beyoncé e Kate Middleton teriam aderido ao metódo do Dr. Dukan para chegar às curvas perfeitas
Foto: Getty Images
As celebridades de Hollywood a adoram, os cientistas a investigam e os nutricionistas torcem o nariz. A dieta Dukan, que vem sendo apontada como a queridinha de muitas famosas, causa polêmica entre os especialistas. Ela insiste na promessa do emagrecimento rápido e sem sofrimento, mas limita a escolha de grupos alimentares em quatro fases distintas, com restrições mais rígidas nas duas primeiras partes.
O fato é que celebridades como as atrizes Penélope Cruz, Catherina Zeta-Jones, Sandra Bullock, a cantora Beyoncé, a top model Gisele Bündchen e, mais recentemente, a princesa Kate Middleton, apareceram alguns quilinhos mais magras dando todos os créditos ao método francês. Para conferir os prós e contras da dieta, o site Terra conversou com alguns profissionais da área, que avaliaram a proposta e deram suas opiniões.
Para Sandra da Silva Maria, nutricionista funcional da Clínica Gastro Obeso Center, de São Paulo, dietas restritivas não respeitam o metabolismo individual das pessoas e, com isso, geram vários distúrbios alimentares. "Notei um desequilíbrio na primeira fase, composta apenas de proteínas, pois seu excesso pode elevar a produção de corpos cetônicos, ocasionando o mau hálito, além de ser tóxico pelo aumento da amônia", afirma.
Ela reitera que o aumento protéico pode influenciar no funcionamento do intestino, causando gases e redução da absorção de nutrientes. Renata Padovani, pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Unicamp, também olha para esta primeira fase da dieta com certa desconfiança: "é pobre em carboidratos e não atinge a recomendação diária para um adulto, que é de 100g (para 50% da população) para o perfeito funcionamento cerebral", ela observa.
A nutricionista acredita que o método não propõe a quantidade suficiente de frutas e verduras, que atuam como antioxidades, e diz que pode precipitar problemas renais, como cálculos, além de provocar irritação e dores de cabeça. "Pessoas com qualquer problema metabólico não devem se submeter a esta dieta, como diabéticos, hipertensos, pacientes com alteração da função renal e ácido úrico."
Por outro lado, alguns pontos positivos foram apontados pela nutricionista do Hospital São Luiz, Mirian Nogueira Martinez. Segundo ela, a dieta estimula o consumo de alimentos integrais, a diversidade de fibras e líquidos. No entanto, pode contribuir para o tão temido efeito sanfona: "quando as restrições deixam de existir, a pessoa não foi apresentada à um modelo de reeducação alimentar e tende ao ganho de peso novamente."
A especialista acredita que a dieta se tornou popular por mostrar retorno: "a dieta vem fazendo sucesso, pois realmente leva à perda de peso de forma rápida e intensa, e isto é o que a maioria das pessoas procura, emagrecer sem sofrimento. Mas é preciso ter consciência sobre as fragilidades da sua dieta e hábitos para promoção de um estilo de vida saudável", aconselha.

Saiba mais sobre a dieta Dukan
A proposta do Dr. Pierre Dukan é que as pessoas emagreçam naturalmente com uma alimentação fundamentada nos alimentos fundadores da espécie humana: as proteínas e os legumes, tudo à vontade. Sendo assim, a divisão é a seguinte:
Fase 1: o início da dieta é conhecido como "ataque", com sinal verde para proteínas sem gordura como carnes magras, peito de peru, frango e peixe, em quantidades ilimitadas. Também inclui farelo de aveia, queijo, iogurte e leite sem gordura, clara de ovo, café e chá (sem açúcar) ou refrigerantes zero. É recomendado o consumo diário de dois litros de líquidos e uma colher e meia de farelo de aveia. A duração dessa fase é de dez dias.
Fase 2: liberados verduras em legumes, com exceção dos ricos em carboidratos, como a batata. Essa fase só termina quando a pessoa chega ao peso ideal.
Fase 3: esta é a etapa batizada por Dukan de "consolidação", na qual se repete o cardápio da fase 2, acrescentando duas fatias de pão por dia e duas porções de massa por semana. A parte boa é que, nesta etapa, a dieta permite duas "porções de comemoração" semanais, na qual se pode comer o que quiser.
Fase 4: esta é a fase de estabilização, na qual tudo é permitido, sempre com bom senso. No entanto, uma vez por semana é necessário retornar a primeira fase. Indica-se um litro e meio de água por dia, além de três colheres de farelo de aveia e 30 minutos de exercício físico.

Na mira dos cientistas
Foram divulgados recentemente os resultados de uma pesquisa conduzida pelo grupo CCM Benchmark, que buscava investigar os efeitos da dieta Dukan alguns anos depois de ter sido feita, segundo informações da agência EFE.
Respondido por cerca de cinco mil internautas, o levantamento mostrou que 75% das pessoas que fizeram o regime há mais de dois anos já recuperaram os quilos eliminados. A publicação dos números visava ampliar a consciência sobre os regimes restritivos e, de acordo com um dos profissionais envolvidos no estudo, os resultados denotam "eficácia a curto prazo".



E aí meninas, alguém aqui já fez?
Comentem sobre os resultados...




Dicas para emagrecer com atividade física

0
Fonte 

Dicas para emagrecer com atividade física Dicas para emagrecer com atividade física
Antes de entendermos como podemos emagrecer e quais os melhores exercícios para o emagrecimento, devemos entender alguns conceitos acerca das necessidades e funções das gorduras. A maioria dos fisiculturistas estão preocupados em melhorar a aparência corporal com um aumento da massa muscular e da redução do percentual de gordura. Entretanto, a perda de peso muito rápida resulta em diminuição da força, da resistência muscular, e da capacidade aeróbia. Por outro lado, uma certa quantidade de gordura no corpo é necessária para manter a saúde e o desempenho.
A quantidade mínima de gordura necessária para mantê-lo vivo é chamado de gordura essencial e inclui a que faz parte de suas membranas celulares, tecido cerebral, coberturas nervosas, medula óssea, e também aquela gordura que circunda seus órgãos internos e que os isola, protege e amortece contra lesões físicas. Segundo Anita Bean ( O guia completo de treinamento de força – Ed. Manole ) numa pessoa saudável, a quantidade de gordura essencial corresponde a 3% do peso corporal.
Médicos e fisiologistas recomendam um mínimo de 5% de gordura corporal para homens e 10 % para as mulheres, porém geralmente a faixa saudável para homens varia entre 13 e 18 % e para mulheres entre 18 e 25 %. Os problemas com níveis de gordura abaixo de 15-20% em mulheres incluem o desenvolvimento de desequilíbrios hormonais, redução da produção de estrógeno, irregularidades na menstruação, disfunção menstrual, cessação dos ciclos e infertilidade. Para os homens, o baixo nível de gordura ( abaixo de 5% ) provoca queda na produção de testosterona, no número de espermatozóide, na libido e na atividade sexual.
Percentual de gordura adequado, de acordo com o sexo:
Sexo                 Mínimo             Normalidade
Masculino          5 %                 13 % a 18 %
Feminino           10 %                18 % a 25 %

Os benefícios dos exercicios aeróbicos:
Aprenda como o exercício pode te ajudar a queimar aquela gordurinha tão indesejada
O exercício físico irá basicamente te ajudar a perder gordura de 3 maneiras.
AUMENTANDO O METABOLISMO
Algumas pessoas erroneamente acreditam que exercícios não valem a pena o esforço por causa do pequeno número de calorias gastas. Por exemplo, andar queima aproximadamente 5 calorias por minuto. Devido ao fato de ter 7700 calorias em um quilo de gordura, iria parecer que você teria que andar 25 horas e 36 minutos para perder 1 quilo de gordura.
Porém a verdade é que mesmo os exercícios moderados aumentam seu metabolismo (queimando calorias) 3 a 8 vezes, durante horas depois do exercício. O efeito residual do exercício, e não o próprio exercício, é o maior responsável pela queima de calorias.
MANTENDO OS MÚSCULOS ATIVOS
Já que cada quilo de músculo requer 110-220 calorias para se sustentar e que a gordura é queimada quase que exclusivamente nos músculos, manter seus músculos torna-se crucial se você deseja perder gordura.
Os exercícios requerem que você use seus músculos, o que te permite manter (ou ainda aumentar) a quantidade de músculo que você tem. Não fazendo exercício, você irá perder músculo e reduzir sua habilidade de queimar gordura.
Lembre-se que exercícios podem lhe permitir aumentar sua massa muscular ao mesmo tempo em que você está perdendo gordura, e seu peso pode não alterar. Você irá aproveitar todos os benefícios (visuais e de saúde) de uma melhor proporção gordura/músculo, e é isso o que importa.
AUMENTANDO AS ENZIMAS QUE OXIDAM GORDURAS
Você não pode perder gordura sem que a queime em seus músculos. Os músculos tem enzimas muito específicas que queimam apenas gordura.
Pesquisas demonstram que pessoas que se exercitam regularmente tem muito mais enzimas que queimam gordura nos músculos do que pessoas que não se exercitam.
Em outras palavras, os exercícios aumentam a habilidade do corpo queimar gordura mais eficientemente. Isto significa que quanto mais você se exercitar, quanto mais você usar seus músculos, mais enzimas que queimam gordura seus músculos irão desenvolver para queimar mais gordura.
Os benefícios dos exercícios vão muito além da perda de peso. Simplificando, um corpo “em forma” responde diferentemente as coisas do que um corpo com muita gordura.
Contrariando o que muitas pessoas acreditam, atletas em forma comumente não fazem uma dieta ideal. Mas por causa dos exercícios e seus corpos musculosos com pouca gordura, as conseqüências são mínimas.
Coisas como gordura, colesterol, açúcar, sal, etc. não afetam alguém que está “em forma” da mesma maneira que afeta alguém que é gordo. Pelo ponto de vista médico, exercícios afetam positivamente todos os órgãos do corpo. Exercícios também melhoram seu sono, nível de energia, humor, mente, e trazem um sentimento geral de bem estar.
Quanto mais você fizer, mais você irá querer fazer já que os benefícios continuam a aumentar e você consegue os resultados que está procurando. Para terminar, exercício é fundamental para a perda de gordura como também para o melhoramento da qualidade de vida de uma maneira geral.
DICA NÚMERO 1: INTENSIDADE
Isso se refere ao seu nível de esforço durante o exercício. Mesmo que algumas pessoas ainda achem que se um exercício não seja doloroso ele não está fazendo nenhum bem, a teoria “sem dor, não há ganho” (no pain, no gain) não se aplica ao processo de queima de gordura.
Se você se exercitar em um nível de intensidade muito alto, seu corpo irá usar açúcar como fonte primária de energia. Para queimar gordura, você deve se exercitar a um nível moderado e confortável. Para se beneficiar ao máximo do exercício, focalize em duração e não em dificuldade.
A maneira mais comum de identificar se você está no nível de intensidade correto é checar seus batimentos cardíacos (pulsação) durante o exercício, já que o ritmo dos seus batimentos cardíacos são diretamente relacionados ao nível de intensidade com que você está se exercitando.
Você pode checar sua pulsação palpando a parte de dentro de seu pulso ou palpando seu pescoço. Simplesmente conte sua pulsação por 6 segundos e adicione um 0 a este número para achar seus batimentos por minuto – assim você não precisa parar de se exercitar durante um minuto inteiro.
Tente checar sua pulsação várias vezes durante o exercício para assegurar que você está na intensidade correta (diminua a velocidade ou até pare se precisar). Para identificar seu “batimento cardíaco alvo”, subtraia sua idade de 220 para determinar seu batimento cardíaco máximo. Depois pegue 65% deste número para determinar seu batimento cardíaco alvo mais baixo, e 80% para determinar seu batimento cardíaco alvo mais alto. Por exemplo, se você tem 30 anos de idade:
Cálculo da freqüência cardíaca ideal para emagrecer
220 – 30 = 190 (batimento cardíaco máximo)
190 x 0,65 = 124 (batimento cardíaco alvo mais baixo)
190 x 0,80 = 152 (batimento cardíaco alvo mais alto)
A maneira mais fácil e confiável de saber como estão seus batimentos cardíacos durante o exercício aeróbico é comprando um aparelho que monitore seus batimentos cardíacos.
O aparelho que monitora os batimentos cardíacos é eletrônico e tem um formato parecido com o de uma fita. Ele é usado em volta do peito, e através de um relógio especial (que vem junto com o aparelho) você vai monitorando seus batimentos.
DICA NÚMERO 2: DURAÇÃO IDEAL DO EXERCÍCIO
Isto se refere a quanto tempo você faz o exercício. Vinte minutos é geralmente considerado o mínimo para se obter os benefícios da queima de gordura e aumentar o crescimento das enzimas de queima de gordura em seus músculos.
Se você está começando, comece com 20 minutos e tente aumentar gradualmente. Não se preocupe com a distância percorrida durante o exercício; o tempo que você se exercita é o que importa, e não a distância.
Ao contrário do que muitos acreditam, fazer exercícios durante 1 hora ao invés de 30 minutos não irá te trazer o dobro de benefícios. Sessões longas fazem com que o corpo questione a severidade da seção de treinamento e, infelizmente, aumenta as chances da “quebra dos músculos”, um horror para quem está querendo perder gordura.
Trinta minutos é o suficiente para aumentar o metabolismo do corpo e começar o processo de usar mais gordura como fonte de energia.
DICA NÚMERO 3: FREQÜÊNCIA DOS EXERCÍCIOS
Isto se refere ao período de intervalo entre suas seções de exercício. Tente se exercitar no mínimo 3 vezes por semana com não mais que 2 dias de descanso entre as seções de exercício (assim você não perde condicionamento).
A freqüência ideal é se exercitar de 5 a 6 vezes por semana. Tire um dia da semana para descansar. Desta forma você descansa corpo e mente durante um dia, mantém a motivação em alta e diminui o risco de contusões.
Não tenha “medo” de descansar um ou alguns dias achando que com isso você irá estar “quebrando o ciclo do programa” ou engordando. Mesmo os atletas mais preparados precisam de um dia de descanso de vez em quando.
DICA NÚMERO 4: HORÁRIO CERTO PARA EXERCITAR-SE !
Essa dúvida é muito comum em academias. Mas antes de respondê-la, é melhor definir qual é seu objetivo e em seguida entendermos alguns conceitos acerca da fisiologia.
É muito importante diferenciar exercícios aeróbicos de exercícios anaeróbicos. Exercícios aeróbicos são aqueles onde você mantém seus batimentos cardíacos elevados (70-80% do máx.) e constantes. Dentre eles estão correr, pedalar e nadar.
Exercícios que envolvem movimentos rápidos e intensos seguidos de descanso (mesmo que sejam extenuantes) são considerados exercícios anaeróbicos. Quando você vai a uma academia fazer musculação, você está indo fazer um exercício anaeróbico. Ao fazer abdominais ou flexões, você também está trabalhando seus músculos desta forma.
Quando você acorda, a quantidade de carboidratos no seu corpo é bastante baixa já que sua última refeição foi na noite do dia anterior. Como esta reserva de carboidrato é muito baixa ao acordar, esta é a melhor hora para praticar uma atividade aeróbica caso seu objetivo seja emagrecer. Nesse horário, nosso organismo usa uma porcentagem maior de gordura como energia.
Se você fizer uma atividade aeróbica logo após fazer uma refeição rica em carboidratos, seu corpo irá usar estes recém ingeridos carboidratos como fonte de energia, e não a gordura que você quer tanto queimar.
Já com os exercícios anaeróbicos ( hipertrofia ) você não deve fazê-los sem se alimentar. O objetivo destes é aumentar sua massa muscular para aumentar seu metabolismo. Você precisa de energia para fazê-los e por isso deve se alimentar antes.
Se você faz um exercício anaeróbico sem se alimentar, você prejudica sua performance e pode obter um resultado contrário ao que deseja. Ao invés de aumentar sua massa muscular, você poderá perder massa já que o organismo usará proteínas do próprio músculo para gerar energia.
Se você quer se exercitar 2 vezes ao dia (uma seção de aeróbico e uma seção de anaeróbico em horas diferentes), o melhor a fazer é se alimentar, depois fazer um exercício anaeróbico e só depois fazer um exercício aeróbico.
É importante ressaltar que se você tem o hábito de fazer um exercício aeróbico pela manhã e logo depois fazer um exercício anaeróbico, você não deve deixar de fazer o café da manhã. Fazer o exercício aeróbico depois do exercício anaeróbico é melhor já que você usa os carboidratos que ingeriu no café da manhã durante a seção do exercício anaeróbico e, quando começar a seção aeróbica, o seu corpo já não terá muitos carboidratos e irá queimar mais gordura.

É meninas, agora só falta eu aprender a  seguir as dicas.....


quinta-feira, fevereiro 02, 2012


CARNAVAL AUMENTA IRRITAÇÃO NOS OLHOS

0


Imagem
Tempo quente, aglomeração em ambientes fechados e a poeira do salão favorecem um enredo de contaminação ocular durante o carnaval. Espumas, serpentinas e maquiagem de má qualidade também colaboram com a situação, que é agravada pelo contato direto entre as pessoas.

Maquiagens vencidas

Já as mulheres devem optar por maquiagem de boa qualidade, indica o oftalmologista Jorge Mitre, do Hospital de Olhos de São Paulo (HOSP). "Caso contrário, a maquiagem vai acabar jogando muitas substâncias tóxicas para dentro do olho da pessoa", alerta Mitre. Ele diz que 15% das alergias, contaminações das córnea e conjuntiva entre brasileiras acontece por causa de maquiagens vencidas e compartilhamento com as amigas.

O oftalmologista do HOSP também pede muito cuidado para os usuários de lentes. O ambiente cheio de pessoas tem menos oxigenação, o que faz com que a lente irrite mais os olhos. Noites em claro tambémfazem que os olhos produzam menos lágrimas à noite.

No caso de algum desconforto, a primeira recomendação dos médicos é lavar os olhos com água ou soro fisiológico e procurar um oftalmologista caso os sintomas persistam. A água boricada deve ficar de fora, pois pode irritar ainda mais a córnea.



Viram né meninas? então nesse carnaval, vamos pular bastante, mas com juízo na maquiagem.



Ocorreu um erro neste gadget

Como estou indo

LilySlim Weight charts

wibiya widget

My Fashiolista finds